web 2.0

TV Web

Carregando...

Ministério feminino


Em relação a I Co 14.34, ao contrario de muitas interpretações errôneas como se fosse um ensino para a igreja da atualidade, Paulo escreveu aos Corintos procurando estabelecer princípios que pudessem regulamentar as reuniões da igreja e não criar regras como se estivesse ditando um conjunto de "leis eclesiásticas".

Tais orientações foram assim radicais, pois a situação dos Corintos era gravíssima. Era costume das mulheres ocupar lugar de destaque na religião pagã de Corinto onde a principal divindade era uma deusa e as mulheres oficiavam os cultos a Afrodite. Eram 1000 sacerdotisas que se prostituíam no templo as quais proliferavam-se pela cidade de Corinto, e isso certamente era um grande problema para novos convertidos.


Paulo pretendia com isso deixar claro que existia uma grande diferença entre aqueles que serviam a Deus e aqueles que não serviam em uma cidade totalmente tomada pela prostituição e idolatria.

Dos ensinamentos de Paulo em questão, precisamos guardar os princípios de ordem, decência, reverência procurando, aplicar no culto somente àquilo que puder promover a edificação da igreja e não o que muitos que se converteram faziam outrora nos cultos pagãos da igreja de Corintos.

Devemos ainda levar em conta alguns pontos como:

- A limitação do conselho de Paulo, pois não se refere a todas as mulheres, mas apenas às esposas dos servos de Deus. Além do mais se refere ao aprender e não como ministrar.

- Corintos, a quem foi dirigida esta carta era de uma cultura antiga e as esposas obedeciam a padrões de comportamento diferentes dos dias atuais.

- Levando-se em conta ainda que em varias passagens bíblicas as mulheres oravam (I Cor. 11:5 e 13) e tinham dom de profecia (At. 2:17 e 18; 21:8 e 9), podemos concluir que tal regra contra as mulheres então não é absoluta.


Pr Waldex Silva
De nosso livro: Reflexões teológicas da atualidade  
Todos os direitos reservados - Lei nº 9.610 de 19/02/1998 - Reproduções dos textos somente com devida autorização do autor.

0 comentários: