web 2.0

TV Web

Carregando...

Onde está Elias? A volta...





Entre o arrebatamento de Elias e o arrebatamento da igreja há uma grande diferença. Neste período do “Dia do Senhor” a igreja não se fará presente na terra, mas Elias, segundo a referencia de Malaquias 4:5 na terra estará. Vamos ver isso.

Notem que Jesus fala em Mt. 17:10-13, como dissemos de dois tempos distintos: tempo passado se referindo a vinda de João Batista; tempo futuro se referindo ao “grande e terrível Dia do Senhor” como citado em Malaquias. Esse episódio denominado “Dia do Senhor” é também citado por Jesus em Lc 17: 28-32.


"Como também da mesma forma aconteceu nos dias de Ló: comiam, bebiam, compravam, vendiam, plantavam e edificavam; mas no dia em que Ló saiu de Sodoma choveu do céu fogo e enxofre, e os destruiu a todos; assim será no dia em que o Filho do homem se há de manifestar. Naquele dia, quem estiver no eirado, tendo os seus bens em casa, não desça para tirá-los; e, da mesma sorte, o que estiver no campo, não volte para trás. Lembrai-vos da mulher de Ló."

O “Dia do Senhor” previsto por Jesus nestes versos fazem referencia ao sermão profético descrito em Mt 24:15 que, por sua vez, referem-se nada mais nada menos do que a Grande Tribulação.

“Quando, pois, virdes estar no lugar santo a abominação de desolação, predita pelo profeta Daniel (quem lê, entenda), então os que estiverem na Judéia fujam para os montes...”

Essa profecia diz respeito tanto ao episódio da destruição do templo na invasão de Jerusalém pelos romanos em 70 D.C., quanto ao episodio da exibição da imagem do anticristo em Jerusalém que se dará justamente durante a grande tribulação citado por Daniel.

Dn 9:26-27 – “E depois de sessenta e duas semanas será cortado o ungido, e nada lhe subsistirá; e o povo do príncipe que há de vir destruirá a cidade e o santuário, e o seu fim será com uma inundação; e até o fim haverá guerra; estão determinadas assolações. E ele fará um pacto firme com muitos por uma semana; e na metade da semana fará cessar o sacrifício e a oblação; e sobre a asa das abominações virá o assolador; e até a destruição determinada, a qual será derramada sobre o assolador.”

É esse o “Dia do Senhor” predito por Jesus e profetizado por Malaquias. É nesse mesmo episódio que, segundo Malaquias, Elias há de ser enviado a terra novamente sendo, provavelmente, uma das duas testemunhas referidas em Ap 11:3-12.

“E concederei às minhas duas testemunhas que, vestidas de saco, profetizem por mil duzentos e sessenta dias.”

Depois de mortos, e depois de três dias e meio que seus corpos ficarem expostos ao publico, o Senhor os haverá de ressuscitar e os arrebatar aos céus assim como, na ocasião terá ocorrido com a igreja.

Mas se Elias será uma das duas testemunhas e não está no céu, onde ele se encontra neste exato momento?

Vamos entender uma coisa: quando João foi arrebatado em espírito no dia do Senhor, foi levado a tempos futuros de nossa perspectiva de tempo, ou seja, Deus em sua infinita misericórdia permitiu a João conhecer fatos que ainda haverão de ocorrer. Em outras palavras Deus abriu a João o entendimento e conhecimento da “Eternidade” que, segundo Salomão, Deus já colocou a nossa disposição desde nosso nascimento.

“Tudo fez Deus formoso em seu tempo; também pôs na mente do homem a idéia da eternidade, se bem que este não possa descobrir a obra que Deus fez desde o princípio até o fim.”

Basicamente Salomão está dizendo que tudo que aconteceu no passado, está acontecendo no presente e acontecerá no futuro, Deus colocou a nossa disposição em nossa mente, contudo, encobriu-nos esse entendimento justamente para não nos gloriarmos disso.

O apostolo Paulo teve esta mesma experiência que, de tão real que a mesma foi, com toda a sinceridade ele diz que não sabia nem dizer se foi levado em espírito ou em carne para vive-la.

II Co 12:2-4 – “Conheço um homem em Cristo que há catorze anos (se no corpo não sei, se fora do corpo não sei; Deus o sabe) foi arrebatado até o terceiro céu. Sim, conheço o tal homem (se no corpo, se fora do corpo, não sei: Deus o sabe), que foi arrebatado ao paraíso, e ouviu palavras inefáveis, as quais não é lícito ao homem referir”.

Em outras palavras, em nossa perspectiva de tempo, tudo que haverá de acontecer no futuro pode ser vivido por qualquer servo de Deus segundo Sua Vontade. Se Deus permitiu ao apostolo Paulo e a João ele pode permitir a qualquer um de nós. 

Salomão compreendia muito bem isso, e sabia que o futuro existe para Deus da mesma forma como o presente, por isso escreveu: “O que é já foi; e o que há de ser, também já foi...” Ec. 3:15

Isso quer dizer que a sucessão de momentos, presente, passado e futuro que consideramos em nossa mente limitada, não existem na eternidade, ou seja, na eternidade tudo já aconteceu e está acontecendo.

O fato de que Deus não tem princípio nem fim nem sucessão de momentos no seu próprio ser é descrito em Sl 90:2: “Antes que nascessem os montes, ou que tivesses formado a terra e o mundo, sim, de eternidade a eternidade tu és Deus.”

A eternidade de Deus, também afirmada em Ap 1.8 demonstra que toda as coisas que aconteceram e que hão de acontecer são conhecidas dEle, e, conseqüentemente Ele as pode revelar a quem quiser. "Eu sou o Alfa e o Ômega, diz o Senhor Deus, aquele que é, que era e que há de vir, o Todo-poderoso"

O mistério do arrebatamento de Elias que viveu em meados do século IX a.C. e voltará a terra, conforme vemos nas Escrituras, em uma época completamente diferente a sua está justamente neste ponto.

Vamos continuar esse assunto em breve em outro post ...


Pr. Waldex Silva
De nosso livro: Reflexões teológicas da atualidade  
Todos os direitos reservados - Lei nº 9.610 de 19/02/1998
Reproduções dos textos 
somente com devida autorização do autor.

0 comentários: