web 2.0

TV Web

Carregando...

Teologia da prosperidade – O grande engano da atualidade



A teologia da prosperidade que tem causado grande polemica entre evangélicos nos dias atuais teve como precursores Essek William Kennyon (Nova York, EUA, 1867), seguido de Kenneth Hagin (Texas, EUA, 1918), seu discípulo Kenneth Copeland, que disse "Satanás venceu Jesus na cruz", e por ultimo Benny Hinn que tem feito muito sucesso atualmente entre os adeptos desta linha de pensamento.

Entre outras heresias Benny Hinn afirma que “o Espírito Santo lhe revelou que as mulheres foram originalmente criadas para dar à luz pelo lado. Todavia, por causa do pecado, passaram a dar à luz pela parte mais baixa de seu corpo.”


Esta declaração é citada no trabalho de Hank Hanegraaff, Cristianismo em Crise, editado pela CPAD (p. 373). Porem, pior que isso é o que registra Hank Hanegraaff na pagina 199 deste mesmo livro. Segundo ele Benny Hinn ensina que o homem é um pequeno deus afirmando: “Eu sou ‘um pequeno messias’ caminhando sobre a Terra”.

Atualmente temos também Mike Murdock Fundador de uma entidade denominada “Centro da Sabedoria” e pertencente a um grupo de palestrantes que ensinam “chaves” de prosperidade. Murdock possui um programa televisivo semanal com o título “Chaves de Sabedoria com Mike Murdock” e foi o primeiro a publicar uma Bíblia Temática.

Recentemente no programa televisivo de Malafaia, Murdock afirmou que para que possamos ser prósperos e bem sucedidos precisamos realizar uma parceria com o Espírito Santo de Deus fazendo um propósito de doar uma quantia por mês ao programa de Malafaia.

Segundo Murdock "é impossível fracassar quando o Espírito Santo é seu parceiro", porém, incrível é que em nenhuma passagem bíblica vemos Jesus pregando um evangelho de prosperidade material e vitórias financeiras acima de todas as coisas como tais expoentes desta teologia  ousam fazer.

Muito ao contrario relatam as Escrituras:

"E, aproximando-se um escriba, disse-lhe: Mestre, seguir-te-ei para onde quer que fores. Respondeu-lhe Jesus: As raposas têm covis, e as aves do céu têm ninhos; mas o Filho do homem não tem onde reclinar a cabeça." (Mt 8.19,20).

E ainda:

"Não ajunteis tesouros na terra, onde a traça e a ferrugem tudo consomem, e onde os ladrões minam e roubam; Mas ajuntai tesouros no céu, onde nem a traça nem a ferrugem consomem, e onde os ladrões não minam nem roubam. Porque onde estiver o vosso tesouro, aí estará também o vosso coração." (Mt. 6.19-21)

Na verdade, como poderia Jesus pregar uma teologia de prosperidade vivendo uma vida simples, tendo origem em uma família pobre, morando toda sua infância e juventude em uma cidade humilde, sendo ainda um humilde carpinteiro.

No evangelho de Lucas vemos Jesus combatendo ainda um dos grandes problemas que interferem, decisivamente, em nossa vida cristã: “a cobiça”.

E disse ao povo: Acautelai-vos e guardai-vos de toda espécie de cobiça; porque a vida do homem não consiste na abundância das coisas que possui. (Lucas 12:15)

Salomão também foi muito enfático ao afirmar que a abundância de dinheiro é vaidade:

“Quem amar o dinheiro jamais dele se fartará; e quem amar a abundância nunca se fartará da renda; também isto é vaidade” ( Eclesiastes 5:10);

Nos ultimos dias vemos malafaia classificando de “idiotas” aqueles que não abraçam sua causa esquecendo-se o mesmo que a palavra “raca”, mencionada por Jesus, tem vários significados estando entre elas a palavra “idiota” por ele utilizada.

Mas Jesus disse:

Eu, porém, vos digo que todo aquele que se encolerizar contra seu irmão, será réu de juízo; e quem disser a seu irmão: Raca, será réu diante do sinédrio; e quem lhe disser: Tolo, será réu do fogo do inferno. (Mateus 5:22)

Em outras palavras, quem insultar seu irmão, com a palavra grega raká que é considerado um termo abusivo, tendo como significado mais provável de idiota, pessoa com falta inteligência, com falta de bom senso, tolo, burro ou “cabeça-oca” estará sujeito ao sinédrio, ou seja, deverá ser julgado.

Infelizmente tendemos a pensar: que teologia de prosperidade seria essa que leva seus propagadores a se encolerizar contra seus próprios irmãos insultando-os e causando divisão entre o povo de Deus?

Certamente que essa corrente ideológica jamais teria respaldo bíblico ou aprovação de nosso Deus que sem duvida alguma deseja acima de tudo a união de seu povo.

Tudo isso leva-nos a conclusão de que essa tal de “teologia da prosperidade” não possui embasamento bíblico e não contém a essência de Deus que é Seu amor. Ela é anti-bíblica e herética, pois consiste na anulação da soberania de Deus uma vez que a mesma esta embasada na crença da Confissão Positiva.

O apostolo Paulo, falando desse tipo de questões nos deixa um maravilhoso conselho:
“...segue a justiça, a fé, o amor, a paz com os que, de coração puro, invocam o Senhor. E rejeita as questões tolas e desassisadas, sabendo que geram contendas...”(II Tm 2:22-23)


Pr. Waldex Silva
De nosso livro: Reflexões teológicas da atualidade
Todos os direitos reservados - Lei nº 9.610 de 19/02/1998
Reproduções dos textos
somente com devida autorização do autor.

0 comentários: